CPAA lança tradução do Guia FIVA

Aproveitando a realização de mais uma edição do Salão AutoClássico, a ARAN (Associação Nacional do Ramo Automóvel) promoveu, no espaço do certame, uma tertúlia com o tema “Automóveis Clássicos-Uma Nova Era”. A convite da organização, um dos oradores foi o presidente do Conselho Técnico do CPAA, José Carlos Barquinha.
Intitulada “A mais-valia da certificação de um automóvel clássico”, a intervenção de José Carlos Barquinha destacou a importância do Decreto-Lei 144/2017, com base no qual as certificações levadas a cabo pelo CPAA substituem as oficiais IPO por um período mínimo de quatro anos.
Salientando que, com a inauguração da nova Sede, em breve o Clube passará a ter condições para fazer dentro de portas toda a avaliação das condições de um veículo inspeccionado, José Carlos Barquinha defendeu que “compete às três instituições acreditadas para fazer certificações, garantir com o mínimo de credibilidade a qualidade das inspeções evitando que as mesmas sejam feitas em garagens e armazéns sem as condições técnicas de avaliação real das condições mecânicas das viaturas”.
Acrescentou que, ao inspeccionar uma viatura, o CPAA toma sempre em linha de conta que está a avaliar o estado de viaturas até 1989, cujas características permitem uma utilização sem restrições, tendo presente que se os travões, direcção, etc. não estiverem dentro dos parâmetros de segurança serão um risco acrescido para a segurança rodoviária.