Jovens ainda desejam os clássicos.

Esta é a conclusão de um estudo da Hagerty, a mais reputada seguradora do ramos de automóveis clássicos.

O estudo confirma a percepção que temos de que a geração dos “millenials” não deseja ter um transporte pessoal e prescinde da posse de automóvel. Contudo, para uma grande parte, os veículos antigos são uma excepção

Segundo a Hagerty, o que muda é o padrão: mais frugais (porque alguns ainda estão a construir uma carreira, sem morada fixa), os novos entusiastas não procuram necessariamente automóveis de elevado valor. Procuram modelos com significado cultural,  dos quais  tenham referências, e revelam um particular interesse pelas marcas japonesas.