Leilões de Paris

Como já é tradicional, as maiores casas do sector aproveitaram a realização de mais edição da Retromobile de Paris para realizarem os seus leilões. Misturando, em alguns catálogos, automóveis actuais com os Clássicos, no que aos Antigos registou-se alguma moderação nos preços. Apesar disso, em três leilões movimentaram-se mais de cerca de 70 milhões de euros.

Na venda levada a cabo pela britânica Bonhams o destaque foi para os automóveis pré-Guerra. Mais do que isso, o mais caro foi um Pioneiro, um Fiat Type 24/32, de 1904, que foi vendido por cerca de 700 mil euros.

Sem que qualquer dos modelos deste catálogo tivesse atingido o milhão de euros, um Bugatti Type 57 Torpedo TT, de 1935, foi vendido pelo mesmo valor que o Fiat e por pouco menos transacionou-se Bentley 3-liter ‘Red Label’ Speed Tourer, de 1926.

Já no leilão da RM/Auctions dominaram os veículos actuais, sendo o Clássico mais caro um BMW 507 Serie II, de 1958, que foi vendido por 1,7 milhões de euros.

O leilão onde foram atingidos os valores mais elevados foi o realizado pela Artcurial, com um Bugatti Type 57C Coupe Atalante, de 1938, a ser vendido por 2,9 milhões de euros, registando-se mais quatro vendas de Clássicos por mais de um milhão: um Maserati A6 GCS/53 Spyder, de 1954 (2,4 milhões), um Porsche 904 GTS (1,8 milhões) e um Mercedes-Benz 300 SL (1.158.270).